Ártico

quarta-feira, 1 de abril de 2009

[SOCIAL] O problema e a solução da crise americana passam pela ética, diz especialista de Harvard


Laura Nash estava numa posição confortável para falar da crise dos EUA no seminário “Ética Empresarial” (FIRJAN/PUC/AMCHAM) – além de professora de Harvard e autora de vários livros, ela tinha um fundo de Hedge, o Piper Cove Asset Management em Boston. Em sua opinião, o problema e a solução da crise passam pela questão da Ética.

O Problema
Segundo ela, a “tempestade perfeita” se formou por uma combinação de sistemas de controle fracos (menos restrições para o crédito, juros baixos e falta de vigilância) + Agentes econômicos acelerados (Internet ampliou quantidade e velocidade das transações, dificultando o controle; pontocom fizeram dinheiro fácil e rápido; novos ricos consumiam exageradamente) + Problema Ético (ganância, maior tomada de riscos, crença em soluções de gênio e inovações financeiras, democratização da casa própria, o “sonho americano”).

A felicidade com a casa própria e os ganhos altos com financistas “confiáveis” como Madoff (que na verdade usava esquema de pirâmide) fez consumidores e investidores ignorarem comportamentos irrealistas, governo e analistas não se darem ao trabalho de precificar os ativos podres (já que estavam faturando, com taxas, impostos e bônus). Criou-se uma cultura contagiosa do “eu primeiro”, dos bônus ganhos mesmo diante do fracasso, de arrogância/egotrips, de infalibilidade – se você é rico, só pode ser genial. Enquanto isso, 40% dos financiamentos imobiliários estavam fora do sistema bancário – logo, dos mecanismos de controle ! O mercado foi se auto-consumindo, não havia vigilância, desconfiança, responsabilidade. Resultado: o PIB dos EUA deve encolher 3% e arrastar o mundo para média 0,5 a 1,5% de queda. Em NY, como 1 em cada 4 empregos é ligado ao setor financeiro, setores como o comércio foram afetados. Os empréstimos subprime representam 60% das execuções hipotecárias, com retomada das moradias.

A Solução
1) Mudar a cultura – os valores éticos ajudarão a sair da crise
2) Vigiar e desconfiar, sempre ! Os mercados são cíclicos, não se iludir com ganhos fáceis e rápidos.
3) Repensar o significado de sucesso x fracasso
4) Se auto-impor limites, ser realista, não se julgar infalível, domar a ganância, dosar a ambição. Ganância vicia e é contagiosa (até conservadores começaram a ter mania de grandeza)
5) Ser um cidadão responsável e solidário, sem egotrips.

Cronologia da Crise

2000-2001 – Bolha da Nasdaq, Enron, Worldcom, Tycom

15-17/set – colapso da AIG e auxílio-resgate do governo; Lehmann Brothers falido; Meryll Lynch tem preju de US$ 8 bi e é comprada pelo Bank of América

11/out – DOW tem maior alta em 1 único dia após a pior semana de sua história e intervenção do governo (alta volatilidade do merc. financeiro)

28/nov – EUA declaram oficialmente a recessão, com US$ 1 tri de empréstimos podres, DOW a -33,5 e MSCI Brasil a -27%.

Um comentário:

antonio disse...

Olá, Patrícia:

Já percebeu que virei leitor de seu blog, não é?
Abordei o assunto deste texto em duas postagens em meu blog; convido-a a acessá-las e, por tabela, conhecer o Novos Maias:

http://novosmaias.blogspot.com/2009/01/banqueiros.html

http://novosmaias.blogspot.com/2009/01/o-bvio-ululante.html

Um abraço,

Antonio