Ártico

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

[MARCA] As empresas brasileiras de melhor reputação


As empresas brasileiras não fizeram feio na pesquisa global que o Reputation Institute conduz desde 1999 para medir a reputação das maiores empresas do mundo (em faturamento). Em 2008 foram analisadas 1.000 empresas (22 brasileiras) em 27 países, por entrevistas com 60.000 consumidores. Emplacamos cinco entre as 50 mais bem avaliadas do mundo: a Petrobrás (20º), Gerdau (24º), Usiminas (40º), Vale (43º) e Correios (50º).


A metodologia do “Global Pulse” analisa quatro atributos essenciais – estima, admiração, confiança e sentimento - em sete pilares estratégicos para a formação da reputação de uma empresa: Produtos/Serviços, Desempenho Financeiro, Inovação, Cidadania, Governança, Liderança e Ambiente de Trabalho. A campeã absoluta em 2008 foi a Toyota, seguida do Google e da dinamarquesa Ikea.


Na análise setorial, é interessante notar que as empresas de melhor reputação são fabricantes de Produtos, principalmente de consumo, computação e eletrônica. Não surpreende que as piores estejam no setor de Serviços, como telecom (novidade?), seguidas de serviços financeiros, transporte, mídia e construção. Para esses, que lidam com intangíveis, o desafio de comunicação é maior, sem falar na própria prestação dos serviços por suas características de inseparabilidade, simultaneidade, alta perecibilidade, variabilidade e dependência do fator humano.

Outras empresas brasileiras entre as 200 melhores: Votorantim (54º), CSN (72º), Grupo Pão de Açúcar (132º), Banco do Brasil (165º), Braskem (176º), Casas Bahia (178º) e Odebrecht (180º).

2 comentários:

Anônimo disse...

Gostei da matéria.
Gostaria de conhecer um pouco mais sobre o Global Pulse e saber se as empresas de melhor reputação tem relação com indicadores de responsabilidade social como ética, respeito ao ambiente e as pessoas.

Patricia de Sá disse...

O Reputation Institute tem uma filial em Belo Horizonte, e vc pode ver tudo que se refere ao Global Pulse no site www.reputationinstitute.com.
Também no livro Gestão de Ativos Intangíveis (org. Marco Tulio Zanini, ed. Qualitymark) existe um capítulo sobre o tema escrito pela diretora da filial, Ana Luisa de Castro Almeida, com alguns detalhes interessantes.
Abs,
Patricia