Ártico

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

[DIGITAL] As pessoas não lêem mais. Será? Depende do formato !


Lula se gaba disso. Steve Jobs da Apple acredita. Mas os fatos desconfirmam essa tendência. Os jovens estão devorando tudo que podem, eles nunca leram ou escreveram tanto como hoje. Desde que esteja em formato digital, em redes sociais e caiba no bolso. O velho mercado editorial, com conteúdos estáticos e repousados sobre polpa de árvore, está com os dias contados, idem ao tsunami que varreu a indústria fonográfica.

Os e-Books, como o pioneiro Kindle da Amazon (vendeu 500 mil unidades no primeiro ano, mais que o iPhone) são o novo modelo editorial, assim como um dia processadores de texto substituíram máquinas de escrever e blogs ganharam mais espaço que empresas jornalísticas. É mudança de paradigma. Curiosamente, o tamanho e a boa definição da tela do iPhone já estão garantindo à Apple um bom naco desse novo mercado. O Google digitalizou 1,5 milhão de livros em domínio público para download via Google Book Search. A Amazon oferece 230 mil títulos. A auto-publicação de obras literárias é outra tendência em ascensão, substituindo a peregrinação por editores interessados, demora no lançamento e baixo retorno financeiro para o autor.

Na CES de Las Vegas, mais importante feira de inovação eletrônica do mundo, surgiram telas flexíveis e retráteis, finas como folhas de papel, dobráveis como braceletes, enroláveis como cartolinas, feitas de compostos orgânicos que transmitem luz quando recebem carga elétrica, como o Oled, ou novos materiais ultra-resistentes, como o grafeno (derivado do carbono), que pode vir a substituir o silício dos chips, e impressão usando tinta eletrônica E-Ink. Os players são a Sony, a DuPont, a HP, o Exército Americano, o MIT, entre outros pesos-pesados da indústria e academia.

Ambientalmente mais amigáveis que mídias à base de celulose, com alta capacidade de conteúdos (o Kindle 2 armazena 1.500 livros em 300gr de peso a US$ 360) e alta definição da imagem, facilmente transportáveis, os e-Books e o e-Paper serão os MP3 do mundo literário.


Leia mais tendências no site do IDG Now (listado neste blog), que reproduz matéria da Computerworld USA.

Um comentário:

Aurea Gervasio Advogados Associados disse...

Profa. Patricia:
Parabéns pelo blog. Adicionei nos meus favoritos, pois me interesso muito por questões de meio ambiente e sustentabilidade. Participo de ONG´s e estou para iniciar o mestrado em Direito Ambiental. Bjs. Aurea (aluna FGV São José dos Campos)