Ártico

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

[SOCIAL] Beleza Irreal
















Em 1996 a Natura lançou o conceito "Mulher Bonita de Verdade" para seu produto Chronos, materializando a crença contra os estereótipos e padrões de beleza, usando clientes reais em propagandas e filmes onde era proibido retocar imagens. O conceito foi depois expandido para "gente de verdade" nas linhas de maquiagem, Ekos e jovem.


Alguns anos mais tarde a Dove iniciou em âmbito mundial a "Campanha pela Real Beleza" com mulheres dos mais variados e imperfeitos biotipos em seus anúncios. A Mac ousou e colocou a drag queen Ru Paul como garota-propaganda e a ativista Anita Roddick, dona da marca The Body Shop, criou uma top-model anti-Barbie, a boneca inflável gorducha Ruby. A Disney deu uma força para as meninas montando um grupo de cantoras teens de grande sucesso, as Cheetah Girls, totalmente fora dos padrões de magreza de Hollywood.

Porém a ridícula aparência anoréxica que vem sendo exibida por um exército de atrizes famosas na TV e cinema não ajuda em nada: Keira Knightley (Piratas do Caribe e Reparação), Mary-Kate Olsen, Nicole Ritchie, Calista Flockhart (Ally McBeal e Brothers & Sisters), Teri Hatcher (Desperate Housewifes), Victoria Beckham, Ellen Pompeo (Grey's Anatomy), Nicole Kidman... só para citar algumas. A rapidez com que mães recentes como Angelina Jolie e Heidi Klum voltam ao noticiário com corpos esculturais poucos meses após darem à luz, cria nas mulheres um sentimento de frustração, inadequação e pior: nos homens a irreal expectativa de que esse padrão é possível. O que alimenta uma indústria de sacrifícios pessoais que vão desde o excesso de malhação a tratamentos estéticos com injeções, lipos, drenagens ao custo de muito dinheiro e de pouco curtir a fase da maternidade.


Veja o quão irreal e injusta é a imagem que a mídia nos vende todos os dias no fantástico filme abaixo. Em caso de problemas no link acesse http://amoraoplaneta.blogspot.com/.


video

2 comentários:

Saul Saraiva disse...

Realmente onde chegaremos com essa ilusão da sobreposição da aparência sobre o SER, da embalagem sobre o CONTEÚDO, da moda disso ou daquilo sobre os verdadeiros princípios morais e éticos? Em breve estaremos diante de um caso de saúde pública e de grande desconforto social.

Fábio disse...

Infelizmente é uma realidade que a mídia desenvolveu para gerar condições de motivar as pessoas a viver no "Complexo de Cinderela".