Ártico

quinta-feira, 3 de maio de 2012

"O AQUECIMENTO GLOBAL É UMA MENTIRA"

Aqui neste blog eu procuro, realmente, pesquisar e ouvir todas as versões das histórias. Hoje tive uma surpresa no Programa do Jô quando entrevistou o climatologista PhD da USP Ricardo Augusto Felício. Ele diz que aquecimento global, buraco na camada de ozônio, CO2 na atmosfera e metano emitido pelas vaquinhas mudando o clima, tudo não passa de um grande mito, uma farsa.

Mitos que são criados para controlar a sociedade e manter a hegemonia econômica dos países dominantes. Cientistas "vendidos" aos governos e grandes indústrias desenhando cenários catastrofistas, falsamente isentos, que criam uma pseudo realidade calcada nos grandes medos da humanidade: morte, futuro e mudança. Os mesmos que trabalhavam para a Guerra Fria são os que hoje defendem o perigo do desenvolvimento insustentável. Tudo isso são hipóteses, e não teorias. Quando provadas, então transformam-se em leis. Porém isso não aconteceu com as afirmações que se tem feito atualmente.

Se climatologistas no início do século retrasado só conseguiam prever o clima para dali a 2 dias, hoje podemos fazê-lo, com toda a parafernália tecnológica, para apenas 7 dias. Como, então, se atrever a prever mudanças climáticas para daqui a 100 anos?

A palestra mais técnica (e longa, pra quem tiver tempo ou interesse, com 2'18h de duração) é esta:



Segundo ele, sol, vulcões e oceanos são os únicos responsáveis pelas alterações climáticas; já tivemos no passado anos mais quentes, mais frios, oceanos mais altos, mais baixos e nem por isso o mundo acabou ou as cidades foram destruídas. Trata-se de acomodação natural de um planeta que é composto de 2/3 de água. E submetido a um sol que a cada 11 anos passa por ciclos de resfriamento/aquecimento. Observando-se séries históricas e manchetes antigas de jornal, vemos que ele tem razão.

Também afirma que as florestas não são as formadoras das chuvas, é o oposto. A "rainforest" só existe por causa das chuvas. Se uma floresta for inteiramente cortada, estará recomposta dali a 20 anos porque o aguaceiro não irá cessar.

As idéias são, no mínimo, instigantes. O cara está avalizado por vários cientistas/climatologistas, remando na contramão do status quo. Pelo menos é corajoso, e seus argumentos parecem sólidos. Vale a pena para sacudir as certezas, às vésperas da Rio+20.

Caso queira assistir a entrevista no Jô, visite o site em http://programadojo.globo.com/platb/programa/tag/ricardo-augusto-felicio/ e procure o video.

Muito interessante.


12 comentários:

paulo rogerio disse...

Estou propenso a acreditar no que disse o Dr Ricardo... muita coisinha de moda e interesses econômicos chiques envolvem essa questao de preservação da natureza...
UMa coisa eu tenho certeza: o problema do planeta não é a escassez de recursos naturar]is, mas o excesso de GENTE NO PLANETA!!! os governos preservariam mais o planeta se houvessem mais politicas de controle de natalidade

Anônimo disse...

Não devemos confundir os argumentos do prof. Ricardo com a defesa do desmatamento ou da destruição. Ele fala apenas sobre a climatologia em si. E, analisando os dados climatológicos e paleoclimatológicos, os cenários catastróficos simplesmente desaparecem. Enfim, vale a pena assistir as aulas dele...falo isso por ser seu ex-aluno.

michel disse...

seria possivel disponibilizar um link para o download do vídeo?? minha internet é lenta, levaria o dia todo para assisti-lo.

obrigado

Anônimo disse...

Somente corrigindo um dado, ele nao é PhD, é doutor.

Fabiano D'Ávila disse...

Somente corrigindo um dado, ele nao é PhD, é doutor.

Bruno Eduardo disse...

Patricia, não conhecia o blog, achei ao pesquisar no Google sobre o Prof. Ricardo Augusto e achei interessante as suas colocações.

Assisti ontem ao programa do Jô e achei muito interessante o que ele falou.

Haja vista que esse lance das sacolinhas plasticas sumirem dos mercados paulistas só beneficiam os próprios mercados que já tinham os preços das sacolas embutidos nos preços dos produtos.

Esse lance de que os cientistas que trabalhavam para a guerra fria são os mesmos que hoje defendem que o planeta sofrerá o aquecimento global.

Mas é bom prestarmos bem atenção no que ele disse, o clima pode ter variações reginais, ou seja, desmatamento de um certo local pode mudar o clima do local, mas não globalmente.

Portanto temos que ficar atentos a isso.

Abraços.

Patricia de Sá disse...

Pessoal, obrigada pelas manifestações. Depois deste post, o mais comentado foi "Os Maias e 2012". Pelo visto o fim do mundo mexe com a gente !
Michel, uma simples busca no Google pelo nome do professor vai te levar ao video no YouTube que embuti aqui no post.
Sugiro a vcs lerem tb "147 empresas controlam o mundo" e "Sistema Financeiro Global corrompido" para ficarem boquiabertos (respect publicados em jan e fev/2012).
Um contraponto para o anti-catastrofismo do Professor é o post sobre os alimentos desta semana.
Abs !

Patricia de Sá disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

A entrevista na minha opiniao foi patetica. O dito professor passou a entrevista toda rindo, como somente ele soubesse "a verdade" acerca do assunto em questao. Nao falou nada de cientifico, nada de nada. Bem ao estilo do nosso ex presidente: Negue, negue e negue! Sineceramente decepcionante dar ouvido a alguem que vem dizer durante meia hora "eh mentira...quaquaqua! eh mentira! quaquaqua" Ridiculo!

Henrique Schucman disse...

Realmente é uma pena ! O Lobby do petróleo paga bem para este tipo de desinformação. Uma entrevista no Jo Soares é sempre paga, com raríssimas excessões. O Valor quando um amigo meu, produtor cultural quis divulgar um album que ele produziu era 50.000 R$ no início do ano 2000. Hoje deve estar muito mais. E confundir " um cientista" com " A COMUNIDADE CIENTÍFICA " é uma vergonha. A entrevista é realmente patética. Mas dinheiro consegue tudo. O JÓ repetidamente cai nesta . PENA! mas a verdade sempre acaba imperando e se não fizermos nada um dia A CASA CAI mesmo.

Roney Belhassof disse...

Estou com o Anônimo ali do dia 22 de maio... Além de não ver nenhum argumento científico a postura dele me incomoda profundamente, me parece arrogante como se quisesse nos convencer não pelos argumentos, mas pela postura.

Caí aqui procurando alguma crítica científica à propostas dele.

Em tempo: Apesar de não estar decidido se temos ou não influência no clima há pesquisas sérias suficientes para tornar o descaso diante do aquecimento global uma imprudência muito séria.

Temos a Larsen C apresentando sinais de colapso, um trabalho publicado recentemente na Nature mostrando como o aumento de CO2 na atmosfera pode tornar o gelo mais quebradiço etc.

Creio que o mínimo que devemos fazer é procurar tecnologias que não interfiram ou interfiram minimamente no clima do nosso planeta.

Roney Belhassof disse...

Achei um vídeo que é bem esclarecedor e na descrição tem o link para um artigo de 20 páginas questionando ponto a ponto os argumentos o Felicio.

http://youtu.be/5tSIDFYm0xk?t=5m